15 de novembro de 2021

Proclamação da República foi um golpe e uma mentira da História do Brasil

 

A Proclamação da República é, até hoje, dos fatos históricos menos conhecidos e explicados de nossa História. Para que isso mude serão ainda necessários muitos estudos e pesquisas dos nossos historiadores. Sendo assim, o que quero, com esse artigo, ora apresentado, é tentar mostrar suas verdades e mentiras, conhecidas ou nem tanto, para, dessa forma, jogar um pouco mais de luz sobre esse controverso assunto. Então, vamos a isso...

Uma das particularidades do Brasil, frente os outros países das Américas, é o de ser o único a se manter monárquico após sua Independência - há até um clássico de nossa historiografia que fala sobre isso e tem o sugestivo nome de "Um Império entre Repúblicas" - sendo este o principal motivo de não termos sido muito bem vistos, política e diplomaticamente, pelos nossos vizinhos (além de outro problema para os outros países: o seu tamanho descomunal, outro "presente" da Monarquia, já que o Brasil se manteve um país com esse tipo "quase continental" à força, pelas espadas dos exércitos de Dom Pedro I e de Dom Pedro II). Enquanto a Monarquia foi bem vinda e vinha a calhar, ela se manteve como algo natural - o que de fato era, visto que durante 13 anos obedecemos a um rei, Dom João VI, que estava ali, ao nosso lado (e não a um oceano de distância, lá na Europa, como aconteceu na América espanhola ou inglesa), mantendo a ideia de República um tanto quanto distante de nós...


Outro ponto a analisarmos é o fato de que, inversamente ao que ocorreu com a Independência (que foi toda pensada na Corte, ou seja, no Rio de Janeiro, mas foi proclamada em São Paulo), a República foi primeiramente pensada em São Paulo - o primeiro partido republicano foi criado na chamada Convenção de Itu, de 1873, porém foi proclamada na Corte, no Rio de Janeiro, e por republicanos de última hora (sendo o maior deles o próprio Marechal Deodoro da Fonseca, que era amigo pessoal de Dom Pedro II e protelou até o último instante), fazendo do "movimento" algo mais parecido com um golpe de Estado.


A República era muito pouco conhecida e difundida no Brasil. Havia várias vertentes entre os republicanos tupiniquins e, dentre elas, podemos citar a dos conservadores - que queriam aguardar a morte de Dom Pedro II para proclamá-la - a dos radicais - que a queriam para agora e já, tendo em mente até mesmo a ideia de matar toda a família imperial - e a dos positivistas, que queriam proclamá-la logo, querendo o apoio dos líderes do exército (notadamente o do Marechal Deodoro, querendo ele à frente do movimento). Foi este último grupo que ganhou a pendenga, como sabemos. Uma particularidade: quando quiseram um lema para a nova bandeira, eles optaram pela máxima positivista, que era "Amor, Ordem e Progresso"; só não sabemos muito bem por que o Amor ficou de fora (mas, em se tratando de uma república que se iniciava com um golpe liderado pelo exército, é bem passível de entendimento, não é mesmo?).


Um dos fatos bem pouco conhecidos, ou mesmo mencionados, é que a primeira bandeira pensada pelos republicanos foi esta, inspirada na bandeira dos Estados Unidos da América (já que o próprio nome da nação, agora republicana, seria "Estados Unidos do Brazil"). A bandeira durou dois dias, logo sendo substituída por uma das primeiras versões da bandeira de nossos dias. Já o nome perdurou até o final do Estado Novo, a ditadura que pôs fim à Era Vargas. 


Possivelmente o fato mais notório da Proclamação de nossa República foi dita por um jornalista que comentava os acontecimentos logo no dia seguinte à Proclamação. Escreveu ele: "O povo assistiu bestializado o desenrolar dos fatos e tinham total certeza que se tratava de uma parada militar." Ora, prum país onde tudo era feito e decidido por sua elite, nada mais genuíno que esta frase, afinal o povo realmente ficou à margem dos acontecimentos e, mesmo os que se diziam republicanos, foram todos pegos de surpresa ante os acontecimentos daquele dia 15 de novembro de 1889.


E então? É ou não é ainda muito pouco conhecida a nossa Proclamação da República?? E é assim que continuaremos, ao menos enquanto nossos atuais e futuros historiadores estiverem se debruçando sobre os documentos históricos dos fatos, coisa que já estão, mas que ainda demorará um bom tempo, com toda a certeza...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Estamos aguardando seu comentário