27 de agosto de 2021

Indigenas acampam em Brasilia mostram civilidade e respeito a democracia

 


Com mobilização histórica em Brasília, mais de 6 mil indígenas dão uma aula de cidadania. A imagem de milhares sentados e acompanhando atentamente as falas do Supremo Tribunal Federal mostram o país que queremos e o respeito à democracia, tão atacada em tempos recentes.

Reunidos na porta do STF, lideranças e guerreiros de todas as partes do país, representando mais de 170 povos, acompanham atentamente o julgamento de um caso que pode mudar toda a política de demarcação de Terras Indígenas.
Caso a tese do Marco Temporal seja validada pelos ministros da corte, os direitos originários dos povos que habitam e preservam o território brasileiro há séculos será desrespeitado e só serão validadas como Terras Indígenas aquelas que estavam ocupadas em 1988, quando a Constituição Federal foi promulgada.
Essa é a tese que sustenta o processo que começou a ser avaliado hoje e que ganhou status de repercussão geral na corte. Ou seja, a interpretação deste caso será aplicada a todas as decisões tomadas após o resultado. Por isso, indígenas consideram essa a decisão jurídica a mais importante do século para os povos.
O julgamento iniciou hoje, mas o presidente da corte, Luis Fux, ouviu apenas a sustentação do ministro Edson Fachin e marcou a continuidade da análise para a próxima quarta-feira.
Fotos: Daniela Huberty/ @comin.oficial e Marcos Paulo - Mídia Ninja.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Estamos aguardando seu comentário