3 de março de 2018

Continuando na poesia de Augusto dos Anjos


Somente a Arte, esculpindo a humana mágoa,
 Abranda as rochas rígidas, torna água
 Todo o fogo telúrico profundo
 E reduz, sem que, entanto, a desintegre,
 À condição de uma planície alegre,
 A aspereza orográfica do mundo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Estamos aguardando seu comentário